terça-feira, 4 de agosto de 2009

Foucault e a loucura

Filho de uma família de médicos, quis ser professor (uma loucura!). Homosexual, foi tratado pelo pai médico como um doente que podia ser curado, ou "consertado". Morreu de AIDS no auge do preconceito contra a doença, identificada como doença de gays. Teve depressão. Conheceu, enfim, e de perto, a violência de um ser humano sobre o Outro, na vida cotidiana.

Ele não concebia como um ser humano poderia ter tanto poder em relação a Outro a ponto de interná-lo como um louco num hospício, e esquecê-lo lá, o resto de sua vida... E como a medicina conseguia tratar a questão dessa forma, também com tanta violência.

Em sua primeira fase, dedicou boa parte da vida ao estudo das condições da loucura. A autora deste vídeo captou essa fase de Foucault com conhecimento e imaginação. Ficou simples e bonito. (créditos ao final do filme)

video

2 comentários:

  1. Lindo!
    Chocante!
    Terrível!
    Cruel!
    Humano!
    "Bicho de sete-cabeças!"

    ResponderExcluir
  2. Olá Márcia! Legal ver suas colocações! Concordo com você e penso:como podemos ser tão violentos, amparados pelo nosso saber?

    ResponderExcluir